quinta-feira, 27 de agosto de 2009

AS COISAS EM ORDEM



Os grandes antigos, quando queriam propagar altas virtudes,
punham seus Estados em ordem.


Antes de porem seus Estados em ordem,
punham em ordem suas famílias.


Antes de porem em ordem suas famílias,
punham em ordem a si próprios.


E antes de porem em ordem a si próprios,
aperfeiçoavam suas almas, procurando ser sinceros consigo mesmos
e ampliavam ao máximo seus conhecimentos.


A ampliação dos conhecimentos decorre do conhecimento das coisas como elas são
(e não como queremos que elas sejam).

Com o aperfeiçoamento da alma e o conhecimento das coisas, o homem se torna completo.

E quando o homem se torna completo, ele fica em ordem.


E quando o homem está em ordem, sua família também está em ordem.


E quando todos os Estados ficam em ordem,
o mundo inteiro goza de paz e prosperidade.

(Confúcio)




sexta-feira, 21 de agosto de 2009

EVITANDO A INQUIETAÇÃO


Aceita-te como és e onde estás, a fim de que consigas caminhar com segurança para o que deves ser e para a melhor condição que te cabe alcançar.

Consulta o passado, por arquivo de informações que te facilite os movimentos em rumo certo, mas não te prendas à lembranças de caráter negativo, porque hoje é o dia de construir o amanhã com o material selecionado de que disponhas no campo da experiência.


Libera a capacidade de compreender e perdoar com que o Criador te dotou, para que o ressentimento, ante os conflitos de ação e de opinião, nas áreas de trabalho em que te vês, não te causem desequilíbrio.

Não acredites tanto em doença e cansaço que te impeçam de servir ao próximo, trabalhando sempre um tanto mais.

Lembre-se:
Auxiliar desinteressadamente aos semelhantes será sempre a base de qualquer melhoria.

Cultivemos o respeito a nós mesmos, sem o qual não se sabe de que modo angariar o respeito dos outros.

Confiemos em Deus, acima de tudo, sem nos esquecermos, porém, de que Deus igualmente confia em cada um de nós.

(EMMANUEL)

SOFRIMENTO E EUTANÁSIA


Quando te encontres diante de alguém que a morte parece nimbar de sombra, recorda que a vida prossegue, além da grande renovação...

Não te creias autorizado a desferir o golpe supremo naqueles que a agonia emudece, a pretexto de consolação e de amor, porque, muita vez, por trás dos olhos baços e das mãos desfalecentes que parecem deitar o último adeus, apenas repontam avisos e advertências para que o erro seja sustado ou para que a senda se reajuste amanhã.

Ante o catre da enfermidade mais insidiosa e mais dura, brilha o socorro da Infinita Bondade facilitando, a quem deve, a conquista da quitação.

Por isso mesmo, nas próprias moléstias reconhecidamente obscuras para a diagnose terrestre, fulgem lições cujo termo é preciso esperar, a fim de que o homem lhes não perca a essência divina.

E tal acontece, porque o corpo carnal, ainda mesmo o mais mutilado e disforme, em todas as circunstâncias, é o sublime instrumento em que a alma é chamada a acender a flama de evolução.

É por esse motivo que no mundo encontramos, a cada passo, trajes físicos em figurino moral diverso.

Corpos — santuários...

Corpos — oficinas...

Corpos — bênçãos...

Corpos — esconderijos...

Corpos — flagelos...

Corpos — ambulâncias...

Corpos — cárceres...

Corpos — expiações...

Em todos eles, contudo, palpita a concessão do Senhor, induzindo-nos ao pagamento de velhas dívidas que a Eterna Justiça ainda não apagou.

Não desrespeites, assim, quem se imobiliza na cruz horizontal da doença prolongada e difícil, administrando-lhe o veneno da morte suave, porquanto, provavelmente, conhecerás também mais tarde o proveitoso decúbito indispensável à grande meditação.

E usando bondade para os que atravessam semelhantes experiências, para que te não falte a bondade alheia no dia de tua experiência maior, lembra-te de que, valorizando a existência na Terra, o próprio Cristo arrancou Lázaro às trevas do sepulcro, para que o amigo dileto conseguisse dispor de mais tempo para completar o tempo necessário à própria sublimação.

(Emmanuel/Francisco Cândido Xavier)

ORAÇÃO DO PERDÃO


Pai, quando eu for chamado para junto de Ti, quero partir com o coração aliviado de qualquer sentimento menor que possa reter-me ao vale de lágrimas onde me encontro hoje.

Ah, Meu Deus, que nada do que já vivi e ainda vivo seja obstáculo à minha felicidade amanhã!...

Quando eu me for, quero alçar vôo como fazem as aves que planam livres por sobre as misérias humanas, e que não pousam no chão senão para buscar o alimento

que as mantém fortes nas alturas!...

Quando meus olhos se cerrarem à ilusão da carne, é de minha vontade que eu me distancie do mundo com a leveza das almas experimentadas na forja das provas árduas, sem que o peso dos sentimentos menores impeça meu anseio de libertação!

Desejo, Pai, libertar-me, sendo fiel à Tua lei de amor e de perdão!

Eu compreendo que a Terra é a escola onde Tu nos prepara para a angelitude!...

Eu compreendo que o sofrimento é a lição que nos faz avançar para a glória ou estacionar na senda de novas e mais dolorosas provas!...

Eu compreendo que tudo é seleção: os laços, a estrada, os acontecimentos...

De minhas atitudes colherei bem ou mal; com minhas decisões talharei o que serei amanhã.

Alegrias infinitas ou sofrimentos sem conta nascem unicamente de meus atos, a revelia do que os outros me fazem ou deixam de fazer...

Por isso, Pai, conduz meu pensamento de tal sorte que, quando chegar minha hora, nada do que vivi possa retardar-me o passo ou prender-me outra vez ao sombrio grilhão da dor.

De todos os momentos experimentados, que eu carregue comigo apenas aqueles que me proporcionaram coisas úteis e felizes.

Que os infortúnios e mágoas do passado não sejam mais peso em meu coração,

a impedir a realização dos mais ardentes anseios de felicidade e sublimação!...

As lágrimas que me fizeram verter - eu perdôo.
As dores e as decepções - eu perdôo.
As traições e mentiras - eu perdôo.
As calúnias e as intrigas - eu perdôo.
O ódio e a perseguição - eu perdôo.
Os golpes que me feriram - eu perdôo.
Os sonhos destruídos - eu perdôo.
As esperanças mortas - eu perdôo.
O desamor e a antipatia - eu perdôo.
A indiferença e a má vontade - eu perdôo.
A desconsideração dos amados - eu perdôo.
A cólera e os maus tratos - eu perdôo.
A negligência e o esquecimento - eu perdôo.
O mundo, com todo o seu mal - eu perdôo.

A partir de hoje proponho-me a perdoar porque a felicidade real é aquela

que nasce do esquecimento de todas as faltas!...

No lugar da mágoa e do ressentimento, coloco a compreensão e o entendimento; no lugar da revolta, coloco a fé na Tua Sabedoria e Justiça; no lugar da dor, coloco o esquecimento de mim mesmo; no lugar do pranto coloco a certeza do riso e da esperança porvindoura; no lugar do desejo de vingança, coloco a imagem do Cordeiro imolado e o mais sublime dos perdões...


Só assim, Pai, se um dia eu tiver que retornar à carne, poderei me levantar forte e determinado sobre os meus pés e não obstante todos os sofrimentos que experimentar, serei naturalmente capaz de amar acima de todo desamor, de doar mesmo que despossuído de tudo, de fazer feliz aos que me rodearem, de honrar qualquer tarefa que me concederes, de trabalhar alegremente mesmo que em meio a todos impedimentos, de estender a mão ainda que em mais completa solidão e abandono, de secar lágrimas ainda que aos prantos, de acreditar mesmo que desacreditado, e de transformar tudo em volta pela força de minha vontade, porque só o perdão rasga os véus sombrios do ressentimento e da revolta, frutos infelizes do egoísmo e do orgulho, libertando meu coração no rumo do bem e da paz, do amor verdadeiro e da felicidade eterna!

Assim seja!

(Psicografia Instituto André Luiz)

PROGRAMAÇÃO ESPIRITUAL

Antes de renascer na carne, cada Espírito elabora uma programação a cumprir.

Orientado por amorosos e sábios Guias, ele se decide por determinadas vivências.

Esse plano é habitualmente precedido de uma incursão pela memória do candidato à reencarnação.

Salvo o caso de almas muito valorosas, a recordação é algo restrita,
a fim de não desequilibrar o Espírito.

É que uma parte muito considerável dos Espíritos cometeu incontáveis equívocos
antes de optar pelo bem.

A misericórdia Divina costuma lançar um véu sobre o passado, para permitir o soerguimento do ser.

Mas chega uma hora em que ele já entesourou bastante compreensão da vida
e se habituou a perdoar.

Quando a alma se ocupa de amar e esquece de condenar é que pode recordar mais amplamente
o que viveu.

A compaixão que aplica naturalmente ao semelhante a credencia a conhecer seu histórico
e a perdoar-se também.

Enquanto o amor não domina o ser, este segue tateando em sua evolução.

Mas sempre conta com o apoio de amigos mais evoluídos, que o auxiliam
a planejar as futuras vivências.

O livre-arbítrio é costumeiramente respeitado e ninguém se obriga a viver o que não deseja.

O Espírito, por sua conta e risco, pode protelar por um tempo o próprio reajustamento
com as leis cósmicas.

Entretanto, não há paz e bem-estar sem consciência tranqüila.

Mais cedo ou mais tarde, ele resolve se dignificar perante os próprios olhos.

O espetáculo da felicidade dos bons Espíritos é um estímulo tentador
para quem segue na retaguarda.

Entre permanecer desequilibrado e trabalhar pela própria felicidade,
o trabalho parece altamente desejável.

Certa exceção quanto à liberdade na escolha das provas e expiações ocorre
no caso de Espíritos muito endurecidos.

Se a liberdade integra a Lei Divina, o mesmo ocorre com o progresso.
Todos os Espíritos devem evoluir para Deus.

Quando conscientes, participam ativamente das decisões sobre o que precisam viver.

É até comum que peçam provas demasiado rudes, no afã de progredir rapidamente.

Então, os amigos espirituais buscam convencê-los a serem mais modestos em sua pretensão.

É melhor avançar mais lentamente do que falir em um projeto grandioso.

Contudo, quando o Espírito é renitente no mal ou um contumaz preguiçoso,
pode ser conduzido a uma existência que não deseja.

Seres que enlouqueceram em vivências cruéis ou que perderam o discernimento em rebeldias contra as Leis Divinas são momentaneamente tutelados em seu refazimento.

O ser é tão mais livre quanto mais consciente de seus deveres.

Não ocorreria a nenhum pai deixar a criança decidir se vai ou não para a escola.

Como nenhum pai sensato obrigaria o filho a cursar uma faculdade que detesta.

Em tudo, deve vigorar equilíbrio e respeito a quem tem maturidade para autodeterminar-se.

Assim, com base em liberdade, responsabilidade e conhecimento do passado,
são programadas as existências terrenas.

Não se trata de um roteiro minucioso ou de um destino inexorável.

Alguns eventos marcantes são programados, mas a conduta a ser adotada é de inteira responsabilidade do reencarnante.

Este é livre para comportar-se dignamente ou para rebelar-se e fugir ao dever
que se apresenta em sua vida.

O relevante é que ninguém é vítima indefesa de forças caprichosas ou arbitrárias.

Em tudo se tem a Justiça Cósmica, que aproveita erros e acertos humanos
para conduzir os Espíritos à felicidade.

Pense nisso.

(Redação do Momento Espírita)

AJUDAR FILHOS


Ajuda o teu filho, enquanto é tempo.

A existência na Terra é a vinha de Jesus, em que nascemos e renascemos.

Quantos olvidam seus filhos, a pretexto de auxílio ao próximo,
e acabam por fardos pesados a toda gente!

Quantos se dizem portadores da caridade para o mundo
e relegam o lar ao desespero e ao abandono?!

Não convertas o companheirinho inexperiente em ornamento inútil, na galeria da vaidade,
nem lhe armes um cárcere no egoísmo, arrebatando-o à realidade,
dentro da qual deve marchar em companhia de todos.

Dá-lhe, sempre que possível, a bênção dos recursos acadêmicos; mas, antes disso,
abre-lhe os tesouros da alma, para que não se iluda com as fantasias da inteligência
quando procura agir sem Deus.

Ensina-lhe a lição do trabalho, preparando-o simultaneamente na arte de ser útil, a fim de que não se transforme em alimária inconsciente.

Os pais são os ourives da beleza interior.

O buril do exemplo e a lâmpada sublime da bondade são os instrumentos de tua obra.

Não imponhas à formação juvenil os ídolos do dinheiro e da força.

A bolsa farta na alma vazia de educação é roteiro seguro para a morte dos valores espirituais.
O poder, sem amor, gera fantoches que a verdade destrói no momento preciso.

Garante a infância e a juventude para a vida honrada e pacífica.

Que seria do celeiro se o lavrador não preservasse a semente?

Quem despreza o grelo frágil é indigno do fruto.

Faze de teu filho o melhor amigo, se desejas um continuador para os teus ideais.

Que será de ti se, depois de tua passagem pela vida física, não houver um cântico singelo de agradecimento endereçado ao teu espírito, por parte daqueles aos quais deves amor?

Que recolherás na seara da vida, se não plantares o carinho e o respeito, a harmonia e a solidariedade, nem mesmo no canteiro doméstico?

Não reproves a esmo.

A tua segurança de hoje lança raízes na tolerância de teu pai e na doçura das mãos enrugadas e ternas da tua mãe.

Esqueça a cartilha da violência.

Que seria de ti sem a paciência de algum velho amigo ou de algum mestre esquecido, que te ensinaram a caminhar?

O destino é um campo restituindo invariavelmente o que recebe.

Ama teu filho e faze dele o teu confidente e companheiro.

E, quanto puderes com o teu entendimento e com o teu coração, auxilia-o, cada dia, para que não te falte a visão consoladora da noite estrelada na hora do teu repouso e para que te glorifiques,
em plena luz, no instante luminoso do despertar.

(Emmanuel/Francisco Cândido Xavier)
Livro ‘Plantão da Paz’ -

PERDOAR


Sim, deves perdoar!

Perdoar e esquecer a ofensa que te colheu de surpresa, quase dilacerando a tua paz.

Afinal, o teu opositor não desejou ferir-te realmente, e, se o fez com essa intenção, perdoa ainda, perdoa-o com maior dose de compaixão e amor.

Ele deve estar enfermo, credor, portanto, da misericórdia do perdão.

Ante a tua aflição, talvez ele sorria.

A insanidade se apresenta em face múltipla e uma delas é a impiedade, outra o sarcasmo, podendo revestir-se de aspectos muito diversos.

Se ele agiu, cruciado pela ira, assacando as armas da calúnia e da agressão, foi vitimado por cilada infeliz da qual poderá sair desequilibrado ou comprometido organicamente.

Possivelmente, não irá perceber esse problema, senão mais tarde.

Quando te ofendeu deliberadamente, conduzindo o teu nome e o teu caráter ao descrédito, em verdade se desacreditou ele mesmo.

Continuas o que és e não o que ele disse a teu respeito.

Conquanto justifique manter a animosidade contra tua pessoa, evitando a reaproximação, alimenta miasmas que lhe fazem mal e se abebera da alienação com indisfarçável presunção.

Perdoa, portanto, seja o que for e a quem for.

O perdão beneficia aquele que perdoa, por propiciar-lhe paz espiritual, equilíbrio emocional e lucidez mental.

Felizes são os que possuem a fortuna do perdão para a distender largamente, sem parcimônia.

O perdoado é alguém em débito; o que perdoou é espirito em lucro.

Se revidas o mal és igual ao ofensor; se perdoas, estás em melhor condição; mas se perdoas e amas aquele que te maltratou, avanças em marcha invejável pela rota do bem.

Todo agressor sofre em si mesmo.

É um espírito envenenado, espargindo o tóxico que o vitima.

Não desças a ele senão para o ajudar.

Há tanto tempo não experimentavas aflição ou problema - graças à fé clara e nobre que esflora em tua alma - que te desacostumaste ao convívio do sofrimento.

Por isso, estás considerando em demasia o petardo com que te atingiram, valorizando a ferida que podes de imediato cicatrizar.

Pelo que se passa contigo, medita e compreenderás o que ocorre com ele, o teu ofensor.

O que te é Inusitado, nele é habitual.

Se não te permitires a ira ou a rebeldia - perdoarás!

A mão que, em afagando a tua, crava nela espinhos e urze que carrega, está ferida ou se ferirá simultaneamente.

Não lhe retribuas a atitude, usando estiletes de violência para não aprofundares as lacerações.

O regato singelo, que tem o curso impedido por calhaus e os não pode afastar, contorna-os ou para, a fim de ultrapassá-los e seguir adiante.

A natureza violentada pela tormenta responde ao ultraje reverdescendo tudo e logo multiplicando flores e grãos.

E o pântano infeliz, na sua desolação, quando se adorna de luar, parece receber o perdão da paisagem e a benéfica esperança da oportunidade de ser drenado brevemente, transformando-se em jardim.

Que é o "Consolador", que hoje nos conforta e esclarece, conduzindo uma plêiade de Embaixadores dos Céus para a Terra, em missão de misericórdia e amor, senão o perdão de Deus aos nossos erros, por intercessão de Jesus?!

Perdoa, sim, e intercede ao Senhor por aquele que te ofende, olvidando todo o mal que ele supõe ter-te feito ou que supões que ele te fez, e, se o conseguires, ama-o, assim mesmo como ele é.

"Não vos digo que perdoeis até sete vezes, mas até setenta vezes sete vezes". Mateus: 18-22."

A misericórdia é o complemento da brandura, porquanto aquele que não for miseri-cordioso não poderá ser brando e pacifico.

Ela consiste no esquecimento e no perdão das ofensas". O Evangelho Segundo O Espiritismo, Cap. X - Item 4.

(Divaldo Pereira Franco/ Joanna de Ângelis)
Da obra: Florações Evangélicas.

MENSAGEM DE BEZERRA DE MENEZES


Não peça auxílio exclusivo
para as suas necessidades.
Trabalhe a benefício de todos.

Não busque compensação julgando-se
favorito da divindade.
Valorize o serviço de seus irmãos.

Não perca o seu tempo em lamentações infindáveis.
Você pode despender as horas com grande utilidade
para os outros e para você mesmo.

Não se detenha na glorificação dos próprios atos.
Há muita gente praticando o bem
nos caminhos da vida, sem oportunidade
de propaganda.

Não fixe as cicatrizes do próximo,
destacando as bênçãos que lhe cercam a estrada.
A experiência humana modifica-se
de minuto a minuto.

Não se demore na excessiva indicação
do caminho certo aos pés alheios.
Lembre-se de que você será também
obrigado a marchar para os testemunhos.

Não espere pela cooperação estranha
no trabalho salvacionista.
A expectativa inoperante no bem
avizinha-se da preguiça.

Não intoxique o seu corpo
com as aplicações indiscriminadas
de substância medicamentosa.

Equilibre seu espírito para que
a causa iluminada produza efeito felizes.

Não revele os defeitos alheios
para acobertar as próprias faltas.
A Eterna Justiça conhece-nos a todos de
perto.

Não gaste impensadamente os seus dias
na pregação desesperada de princípios renovadores,
que você mesmo tem dificuldade de abraçar.
Corrijamos em nós o que nos aborrece nos outros
e Jesus fará o resto pela
felicidade do mundo inteiro.

(Bezerra de Menezes/Chico Xavier)
do Livro Cartas do Coração

AMOR


O Amor, sublime impulso de Deus,
é a energia que move os mundos:
Tudo cria, tudo transforma, tudo eleva.
Palpita em todas as criaturas.
Alimenta todas as ações.

O ódio é o Amor que se envenena.

A paixão é o Amor que se incendeia.

O egoísmo é o Amor que se concentra em si mesmo.

O ciúme é o Amor que se dilacera.

A revolta é o Amor que se transvia.

O orgulho é o Amor que enlouquece.

A discórdia é o Amor que divide.

A vaidade é o Amor que ilude.

A avareza é o Amor que se encarcera.

O vício é o Amor que se embrutece.

A crueldade é o Amor que tiraniza.

O fanatismo é o Amor que petrifica.

A fraternidade é o Amor que se expande.

A bondade é o Amor que se desenvolve.

O carinho é o Amor que se enflora.

A dedicação é o Amor que se estende.

O trabalho digno é o Amor que aprimora.

A experiência é o Amor que amadurece.

A renúncia é o Amor que se ilumina.

O sacrifício é o Amor que se santifica.

O Amor é o clima do Universo.

É a religião da vida, a base do estímulo e a força da Criação.
Ao seu influxo, as vidas se agrupam, sublimando-se para a imortalidade.
Nesse ou naquele recanto isolado, quando se lhe retire
a influência, reina sempre o caos.
Com ele, tudo se aclara.
Longe dele, a sombra se coagula e prevalece.
Em suma, o bem é o Amor que se desdobra,
em busca da Perfeição no Infinito,
segundo os Propósitos Divinos;
e o mal é, simplesmente, o Amor fora da Lei.

(João de Brito/Chico Xavier)
do Livro Falando à Terra
Espíritos Diversos

ATITUDE SILENCIOSA


Afirma velho refrão da sabedoria popular
que todo “aquele que cala consente”.

Nem sempre, porém, é assim.

O silêncio pode significar mais
do que ausência pura e simples.

Há quem cale por temor, mesmo que discordando;
outros silenciam para evitar contendas inúteis,
e diversos indivíduos o fazem perseguindo
interesses inferiores...

Também se pode apresentar um tipo de silêncio dinâmico,
que é sabedoria, quando os tolos palram ou os
agressivos estridulam...

Caracteriza o profundo conhecedor de uma questão,
o seu silêncio, igualmente chamado “de ouro” pelo brocardo
ancestral, que fala no momento em que é solicitado,
ao mesmo tempo gerando esclarecimento e produzindo
instrução.

Essa atitude, no entanto, exige equilíbrio
e disciplina moral decorrentes da coragem
que propicia auto-controle, superando as paixões
mais rudes que se rebelam e pretendem competir,
impor e conflagrar.

Fala-se muito sem que se pense, e, por isso,
os conflitos se apresentam em escala crescente,
lançando umas contra outras as pessoas
e perturbando o organismo social.

O silêncio não deve significar mutismo constrangedor,
atitude de indiferença ou de desprezo pelo
interlocutor.

Referimo-nos à discussão vazia, ao debate infrutífero,
às defesas desnecessárias quando ocorrem os bombardeios
da insensatez.

É mais fácil reagir, argumentando pelo espicaçar
da vaidade ferida, ou graças aos espículos
que se cravam no orgulho.

Saber ouvir, ler com serenidade os ataques e difamações,
constituem comportamento estóico, que a todos cumpre
assumir, a benefício próprio, do adversário
e da paz entre todos.

Silencia o mal que te façam e age no bem
que possas desenvolver.

Os teus atos possuem a voz que fala mais alto
do que todas as tuas palavras.

Se os não respeitam, menos considerarão
as tuas objurgações.

Não passes recibo às provocações dos que se convertem
em defensores da verdade, fiscais do dever alheio,
donos de todo o conhecimento...

Incorpora ao universo das tuas atitudes as palavras não ditas,
desmentindo infâmias e acusações indébitas
pela tua forma de ser e de te conduzires.

O tempo urge e é precioso em demasia
para que seja malbaratado inutilmente.

Não te tornarás melhor porque te elogiem
ou concordem contigo.
Da mesma forma, não te farás pior face às
injúrias e malquerenças que te cerquem os passos.

Porfia no teu compromisso e aguarda o tempo,
que é sempre o mesmo para todos, diferindo na forma
como transcorre em relação a cada um.

O Codificador do Espiritismo, na defesa da Doutrina,
jamais aquiesceu em participar das discussões estéreis
e vazias.
A cada agressão que merecia esclarecimento justo,
sem qualquer ressentimento, ofereceu respostas
que permanecem como páginas de luz pela sabedoria
que encerram, demonstrando a excelência do Espiritismo
mediante a robustez do seu conteúdo e a construção
granítica das idéias argamassadas na filosofia ético-moral do
Evangelho de Jesus, que a ciência comprova experimentalmente,
em todos os fatos, permanecendo como a mais sólida de quantas
já apareceram, consciências e sentimentos
que projeta no rumo de Deus.

(Joanna de Ângelis/Divaldo P Franco)
do Livro Viver e Amar

ORAÇÃO DAS MÃES


Senhor!

Abriste-me o próprio seio
e confiaste-me os filhos do Teu amor.
Não me deixes sozinha na estrada a percorrer.
Nas horas de alegria, dá-me temperança.
Nos dias de sofrimento, sê minha força.
Ajuda-me a governar o coração
para que meu sentimento não mutile
as asas dos anjos tenros que me deste
e adoça-me o raciocínio para que
a minha devoção afetiva não converta
em severidade arrasadora.

Defende-me contra o egoísmo
para que a minha ternura não transforme em prisão
daqueles que asilaste em meus braços.

Ensina-me a corrigir amando,
para que eu não possa trair o mandato
de abnegação que depuseste em meu espírito.

Nos minutos difíceis, inclina-me à renúncia
com que devo iluminar o trilho daqueles que
me cercam.

Senhor auxilia-me a tudo dar sem nada receber.
Mostra-me os horizontes eternos de Tua Graça,
para que os desejos da carne
não me encarcerem nas sombras.

Pai, sou também Tua filha!
Guia-me nos caminhos escuros,
a fim de que saiba conduzir ao infinito Bem
os promissores rebentos de Tua Glória.

Senhor, não me desampares!
Quando a Tua Sabedoria exigir
o depósito de bênçãos com que me adornaste a estrada
por empréstimo sublime, dá-me o necessário desapego
para que eu Te restitua as jóias vivas
do meu coração, com serenidade e alegria,
e quando a vida me impuser em Teu nome,
o desprendimento e a solidão,
reaquece minh'alma ao calor do Teu Caminho
Celeste para que eu venere a Tua vontade para sempre.
Assim seja.

(Meimei/Chico Xavier)
de A Luz da Oração

MÃE


Um dia, a Mulher solitária e atormentada chegou ao Céu e,
rojando-se, em lágrimas, diante do Eterno Pai,
suplicou:
- Senhor, estou só! Compadece-te de mim.

Meu companheiro fatigado, cada dia, pede-me repouso
e devo velar-lhe o sono!
Quando triunfa no trabalho,
absorve-se na atividade mais intensa e,
muita vez distraído, afasta-se do lar,
onde volta somente quando exausto,
a fim de refazer-se.

Se sofre, vem a mim, abatido
buscando restauração e conforto...
Tu, que deste flores ao arvoredo
e que abriste as carícias da fonte,
no seio escuro e ressequido do solo,
consagras-me, assim, ao isolamento?

Reservaste a Terra inteira ao serviço do homem
que se agita, livre e dominador, sobre montes e vales,
e concedes a mim apenas o estreito recinto da casa,
entre quatro paredes, para meditar
e afligir-me sem consolo?

Se sou a companhia do homem,
que se vale de mim para lutar e viver,
quem me acompanhará na missão a que me destinas?

O Senhor sorriu, complacente,
em seu trono de estrelas fulgurantes e,
afagando-lhe a cabeça curvada e
trêmula, falou compadecido:

- Dei o mundo ao homem,
mas confiarei a vida ao teu coração.

Em seguida colocou-lhe nos braços uma frágil criança.
Desde então, a Mulher fez-se Mãe e
passou a viver plenamente feliz.

(Meimei/Chico Xavier)
em Cartas do Coração

CONFIA SEMPRE


Não percas a tua fé entre as sombras do mundo.
Ainda que os teus pés estejam sangrando,
segue para a frente, erguendo-a por luz celeste,
acima de ti mesmo.

Crê e trabalha.
Esforça-te no bem e espera com paciência.
Tudo passa e tudo se renova na terra,
mas o que vem do céu permanecerá.

De todos os infelizes os mais desditosos
são os que perderam a confiança em Deus
e em si mesmo, porque o maior infortúnio
é sofrer a privação da fé e prosseguir
vivendo.

Eleva, pois, o teu olhar e caminha.
Luta e serve. Aprende e adianta-te.
Brilha a alvorada além da noite.
Hoje, é possível que a tempestade
te amarfanhe o coração e te atormente
o ideal, aguilhoando-te com a aflição ou
ameaçando-te com a morte...

Não te esqueças, porém, de que amanhã
será outro dia.

(Meimei/Chico Xavier)

CARTA MATERNA


"Meu filho, se procuras a bênção da felicidade,
não te esqueças de que o Reino do Céu
começa em nosso próprio coração
e de que o primeiro lugar onde devemos
trabalhar por ele é na própria casa onde vivemos...

A alegria verdadeira nem sempre é daqueles
que dominam, mas nunca se aparta das almas generosas
que aprendem a espalhar o bem.

Se queres que a tranqüilidade te acompanhe,
busca ser útil.
Por que foges de teu pai, quando,
cansado e abatido, mostra uma fisionomia preocupada?

Por que te afastas da mãezinha,
quando observas o orvalho das lágrimas em seus olhos?

Aproxima-te deles e faze-lhes sentir
que tens um coração compreensivo e amoroso.

Um fio d’água transforma o deserto em oásis.
Um gesto de carinho opera milagres.
Quanta gente espera construir o Reino de Deus,
acendendo fogueiras de entusiasmo na praga pública
e esquecendo no frio da indiferença
aqueles que o Céu lhes confiou!...

Guarda a paz contigo, a fim de que a possas distribuir.

Entre as paredes do lar,
Deus situou a nossa primeira escola.
Se não sabemos exercer a tolerância e a bondade
com cinco ou dez pessoas, que esperam
pelo nosso entendimento e pelo nosso auxílio,
debalde ensinaremos o caminho do bem--estar para os outros.

O primeiro degrau do Paraíso chama-se Gentileza.

Aprende a ajudar para que outros te ajudem e,
onde estiveres, serás sempre um valoroso operário
na edificação do Reino Divino."

APONTAMENTO

Toda bondade mais simples,
Sincera, nobre, leal,
Ajuda na construção
Do Reino Celestial.

(Meimei/Chico Xavier)
do Livro Pai Nosso

O PÃO NOSSO DE CADA DIA DÁ-NOS HOJE


O pão nosso de cada dia não é somente
o almoço e o jantar, o café e a merenda.

É também a idéia e o sentimento, a palavra e a ação.

Para que reine a saúde com alegria, em torno de nós,
precisamos de nossas refeições, mas necessitamos também
de paz e esperança, de fé e valor moral.

Com os nossos modos de agir,
operamos sobre os outros.

Conversando,
distribuimos nossos pensamentos.

Nossos atos influenciam os que nos cercam,
segundo as nossas intenções.

Por isso, também os outros nos alimentam
com as suas atitudes.

Se estimamos as conversações deprimentes,
se buscamos a leitura de natureza inferior,
depressa nos vemos alterados e perturbados,
sem disso nos apercebermos.

As nossas companhias falam claramente de nós.

Nossas leituras revelam nosso íntimo.

Procuremos, desse modo, o pão espiritual
que nos garanta a harmonia interior, que conserve
o nosso caráter firme sobre os alicerces do bem,
que nos guarde contra a maldade e que nos ajude
a ser exemplos de compreensão e fraternidade.

Em Jesus temos o pão que desceu do Céu.

E, ainda hoje, o Mestre continua alimentando
o pensamento da Humanidade, por intermédio de um Livro
— o Evangelho Divino, em que ele nos ensina,
através da bondade e do amor, o caminho de
nossa felicidade para sempre.

(Meimei/Chico Xavier )
do Livro Pai Nosso

O SILÊNCIO E O PERDÃO

O silêncio ajuda sempre:

Quando ouvimos palavras infelizes.

Quando alguém está irritado.

Quando a maledicência nos procura.

Quando a ofensa nos golpeia.
Quando alguém se encoleriza.

Quando a crítica nos fere.
Quando escutamos a calúnia.

Quando a ignorância nos acusa.

Quando o orgulho nos humilha.
Quando a vaidade nos provoca.
O silêncio é a gentileza do perdão
que se cala e espera o tempo.

O perdão, em qualquer tempo,
É sempre um traço de luz,
Conduzindo a nossa vida
À comunhão com Jesus.

(Meimei/Chico Xavier )

ESCREVER NA TERRA


"E, tornando a inclinar, escrevia na terra."
João - 8-8

Quanta gente não abusará dos recursos da escrita,
para veicular imposições e difundir enganos na terra?

Quantos espíritos, mesmo desencarnados, valem-se
dessa oportunidade para atender a venenosos
caprichos individuais?

Aqui, escreve-se para a consecução de determinados
objetivos inferiores, além, aproveitam-se publicações
para o mercado de propósitos subalternos.

Quantas vezes nós mesmos teremos movimentado
o jornal ou o livro, pretendendo impor
nossa interpretação individual.

Quem escreve precisará lutar contra numerosos
monstros que ameaçam o espírito.
É indispensável guardar-se todos os dias.

E, nessa vigilância justa, será razoável
lembrar a posição de Jesus, que não nos deixou
livros ou pergaminhos, legando-nos, apesar disso,
os tesouros da vida imperecível.

Importa considerar, no entanto que o Mestre Divino
escreveu na terra.

Nunca encontraste o simbolismo profundo
desse gesto de Cristo?

Quem poderá passar no Planeta sem grafar
alguma coisa nos caminhos do mundo?

Nem todo homem gravará páginas, mas todos
escreverão na Terra a história de sua passagem comum.

No campo, traçará leiras, plantará árvores,
modificará paisagens, nas cidades, construirá oficinas,
instituirá universidades, levantará edifícios.

A Terra é o grande livro que o Senhor nos deu
aos serviços de formação espiritual.
Ainda que não percebas, estás escrevendo diariamente.

Se já não és a criança de entendimento frágil,
se já tens o contato do Cristo,
não te descuides da escrita diária.

Vê o que gravas nas páginas da vida.

Tuas mãos e atitudes gravam sempre,
a todo minuto, com as tintas luminosas
ou escuras do coração.

A Terra está registrando o que fazes.
Não manches o livro que o Pai nos confiou.

(Emmanuel/Chico Xavier)
do Livro Plantão de Paz

ABRIGO ÍNTIMO

Pedes abrigo no tumulto que habitualmente aparece diante das grandes renovações.

Entretanto, as possibilidades para o levantamento de semelhante refúgio estão em ti mesmo.

Rememora a proteção sob a qual vieste ao Plano Físico.

De nada dispunhas, além do amor com que te acolheram, no entanto, não te faltou apoio para o crescimento nem luz bastante para que se te clareassem os pensamentos.

Relaciona os empréstimos da vida com que ao mundo te vinculaste:

oportunidades que te honraram;

afetos que te surgiram;

meios que obtiveste;

lições que te enobreceram.

Soma as bênçãos que te enriquecem e pensa na aplicação respectiva que se te pede
para a elevação do futuro.

Constrói, por dentro do próprio ser, o abrigo de entendimento que solicitas,
no qual possas desfrutar segurança e irradiá-la de ti.

Agradece a tarefa que a vida te concedeu.

Trabalha confiando no êxito do bem.

Usa os patrimônios da vida sem desperdiçá-los.

Não retenhas vantagens com evidente prejuízo dos outros.

Se erraste, corrige-te sem precipitação em desespero.

Não admitas o fracasso por perda definitiva e sim por ensinamento necessário ao triunfo.

Aceita os outros como são sem violentar-lhes o modo de ser e sem permitir
que te destruam as realizações e os ideais.

Segue o teu próprio caminho, compreendendo e amando sempre.

Assume as responsabilidades com te deves conduzir, sem qualquer intromissão
no comportamento alheio.

Participa da existência, ofertando as tuas atividades ao montante do benefício comum.

Não te retardes em sombras de ressentimento ou irritação,
contra experiências de que ainda precisas.

Segue adiante, pensando no bem, falando para o bem, agindo no bem e edificando para o bem,
sem perder o tesouro das horas.

E suceda o que suceder, estarás em segurança, porque assim reconhecerás que a segurança inviolável em nós é a presença de Deus.

(Francisco Cândido Xavier/Emmanuel)
(do livro Busca e Acharás)

PENSAMENTOS NOBRES


"Pratiquem a bondade, não criem sofrimento, dirijam a própria mente.
Esta é a essência do Budismo"
(Buda)

“Aquele que protege sua mente da cobiça, e da ira, desfruta da verdadeira
e duradoura paz.”
(Sakyamuni)

“Cultivar estados mentais positivos como a generosidade e a compaixão decididamente conduz a melhor saúde mental e a felicidade.”
(Dalai Lama)

“Minha doutrina é pura e não faz distinção alguma entre o nobre e o vulgar, o rico e o pobre.”
(Buda)

“A essência de toda a vida espiritual é a emoção que existe dentro de você,
é a sua atitude para com os outros.”
(Dalai Lama)

“O ódio nunca desaparece, enquanto pensamentos de mágoas forem alimentados na mente. Ele desaparece, tão logo esses pensamentos de mágoa forem esquecidos.”
(Sakyamuni)

“Projetistas fazem canais, arqueiros airam flechas, artífices modelam a madeira e o barro,
o homem sábio modela-se a si mesmo”
(Buda)

“Transformar nosso coração e mente é compreender como funcionam
os pensamentos e as emoções.”
(Dalai Lama)
“Viver apenas um dia ou ouvir um bom ensinamento é melhor do que viver um século
sem conhecer tal ensinamento.”
(Sakyamuni)

“Como a abelha, sem causar dano à flor, à sua cor, ao seu perfume se afasta levando o néctar,
assim viva o sábio sobre a terra.”
(Buda)

“Não devemos seguir uma vida de prazeres ou de puro ascetismo. Devemos nos orientar pelo caminho do meio, evitando esses dois extremos.”
(Buda)

“Seja como o sândalo que perfuma o machado que o fere.”
(Buda)

“A verdadeira felicidade não vem de um conceito limitado do próprio bem-estar
ou das pessoas mais chegadas, mas do desenvolvimento do amor e da compaixão
por todos os seres sencientes."
(Dalai Lama)

“Se um homem insensatamente me faz mal, eu lhe pagarei com a proteção do meu desinteressado amor, quanto mais mal vem dele, mais bondade sairá de mim;
a fragrância do bem sempre virá para mim...”
(Buda)

QUANTAS VEZES VOLTAREI?

Quantas vezes já vesti o corpo de carne?
Quantas vezes retiraram-me da pátria espiritual amada?
E desci a terra enlevada pelos sonhos de crescer.

Quantas pátrias tive nesse canto?
Quantas famílias.
Quantos amores.
Quantos encantos.
Quantos filhos e irmãos.

Quantas vezes habitei ventre materno?
E chorei a entrada do primeiro ar nos pulmões.

Quantas vezes fui criança inocente?
Adolescente revoltado.
Adulto preocupado.
Ancião depauperado.

Quantas vezes enverguei a farda, a arma o punhal?
Quantos irmãos despachei para o mundo espiritual?

Quantas vezes amei desesperadamente?
Quantas vezes dediquei-me a outro ser doente?
E noites a fio zelei em um leito de morte.

Quando vezes me embebedei?
E sorri como os loucos e dementados.

Quantas vezes estive ao seu lado?
Quantas vezes errei e acertei?

E o que indaga minha alma e perturba minha calma:
Quantas vezes ainda voltarei?
(Desconheço o autor)

AGRADEÇA SEMPRE

Agradeça pelos sucessos e aplausos, mas também pelas
experiências de insucesso e pelas dificuldades.

Quando faz isso, você avança um degrau,
dá um pulo para um estado superior.

Aceitar os obstáculos e procurar crescer com eles lhe dá
forças e recursos novos, e faz você gostar mais de si mesmo.

Seja qual for o momento por que estiver passando, guarde bons
pensamentos sobre a vida, sobre Deus e os seus semelhantes.

Como sementes de felicidade, as idéias frutificação.
Toda vez que você agradece, a vida registra um ponto à seu favor.

(Lourival Lopes)

AGRADEÇA O MOMENTO PRESENTE

Ah, o vazio interior!
Uns o sentem mais, outros, menos.
Mas, como incomoda...

Três coisas o curam: o agradecimento, a oração e a esperança.
Use-as de hábito.

Agradeça o momento presente, seja qual for, mesmo se de contrariedade.
Agradeça a situação que você vivencia, o seu agora.

E lembre-se de Deus, com esperança e desejo de fazer a vontade dEle.

Recorra aos bons pensamentos e compreenda:

um coração que é, de fato, bom, não tem vazio.
Nem o Universo é vazio, Deus o preenche.

( Lourival Lopes)

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

A ARTE DE SER AVÓ

Um belo dia, sem que lhe fosse imposta
nenhuma das agonias da gestação ou parto,
o doutor lhe põe nos braços uma criança. Completamente grátis - nisto é que está a maravilha. Sem dores, sem choro, aquela criancinha da sua raça, da qual morria de saudades, símbolo ou penhor da mocidade perdida.

No entanto - no entanto! - nem tudo são flores no caminho da avó.

Há acima de tudo, o entrave maior, a grande rival: a mãe. Não importa que ela em si, seja sua filha. Não deixa por isso de ser a mãe. Não importa que ela ensine à criança a lhe dar beijos e a lhe chamar de "vovozinha" e lhe conte que de noite, às vezes, ela de repente acorda e pergunta por você. São lisonjas, nada mais.

Rigorosamente, nas suas posições respectivas, a mãe e a avó representam, em relação ao neto, papéis muito semelhantes ao da esposa e da amante nos triângulos conjugais. A mãe tem todas as vantagens da domesticidade e da presença constante. Dorme com ele, dá-lhe de comer, dá-lhe banho, veste-o. Embala-o de noite. Contra si tem a fadiga, a rotina, a obrigação de educar e o ônus de castigar.

Já a avó não tem direitos legais, mas oferece a sedução do romance e do imprevisto. Mora em outra casa. Traz presentes. Faz coisas programadas, leva a passear, "não ralha nunca", deixa se lambuzar de pirulito. Não tem a menor pretensão pedagógica.

Até as coisas negativas se viram em alegrias quando se intrometem entre avó e neto: o bibelô que se quebrou porque ele - involuntariamente! - bateu com a bola nele. Está quebrado e remendado, mas enriquecido com preciosas recordações: os cacos na mãozinha, os olhos arregalados, o beiço pronto para o choro; e depois o sorriso malandro e aliviado porque ninguém zangou, o culpado foi a bola mesmo, não foi, vó?

Era um simples boneco que custou caro.
Hoje é relíquia: não tem dinheiro que pague!

(Raquel de Queiroz)

A BÍBLIA É A PALAVRA DE DEUS?

O Espiritismo nunca teve como objeto, a condenação de credos, doutrinas ou escolas filosóficas e, muito menos, pretende ser o forno de incineração de livros e idéias, pois tem como roteiro a liberdade de escolha e pensamento, adstritos ao livre arbítrio.
A Bíblia, para nós, é um livro humano, repleto de sabedoria, informações históricas e culturais dos povos aos quais se refere.
Todavia, são inúmeros os erros e absurdos nela contidos, o que é próprio dos atos da lavra humana.

A Obra Codificada nos dá roteiro seguro para identificarmos o que procede da vontade soberanamente sábia de Deus.
Na questão 12 da primeira parte de "Obras Póstumas" de Allan Kardec encontramos:

"O homem tem um farol para a procura do desconhecido:
são os atributos de Deus.
Uma vez admitido que Deus não pode deixar de ser eterno, imutável, imaterial, uno, onipotente, soberanamente justo e bom, infinito em todas as suas perfeições, toda a doutrina ou teoria, científica ou religiosa, que deprimir, ainda infinitesimalmente, qualquer daqueles predicados, é necessariamente falsa, pois tende à negação do próprio Deus".

Assim, de acordo com o ensinamento de Kardec, tudo quanto arranhar os conceitos de bondade, justiça e perfeição de Deus, deve ser considerado falso.

Partindo desse pressuposto, passemos à leitura da Bíblia.

Em Gênesis II, 6, está:
"Então se arrependeu o Senhor de ter feito o homem na terra e isso lhe pesou no coração".

Deus, infinitamente sábio poderia errar, para depois arrepender-se?
Claro que não, logo essa afirmação é falsa, segundo o Espiritismo.

Deus, infinitamente justo, daria ordens para despojar (roubar, furtar) alguém? Certamente não.
Mas em Êxodo III, 22, está a triste história do saque sobre os egípcios, a mando de Deus,

segundo a Bíblia.

Deus, na sua bondade infinita seria capaz de considerar imunda a mulher por haver

dado à luz os filhos?
Pois essa descaridade bárbara está noticiada no capitulo XXIII de Levítico.
Deus seria capaz de pedir o auxílio de um espírito, para espalhar mentiras?
Pois a Bíblia diz que sim.
Está em I Reis no Capítulo XXII.

Seria um desfiar quase infindável de passagens bíblicas, onde o Senhor é visto matando, irando-se, ordenando saques e, até mesmo, impedindo que pessoas defeituosas penetrassem no templo.
Isso seriam atos de amor, de justiça ou morais?
Certamente não, o que nos leva, segundo o ensinamento de Kardec, a ter essa fonte como completamente estranha aos preceitos divinos.

Se, por algum motivo fossemos levados a aceitar um principio científico, filosófico ou religioso, que os avanços do conhecimento viessem a demonstrar equivocados, o Codificador nos aponta o caminho a seguir nas mesmas "Obras Póstumas", no último capítulo que trata dos "Princípios Fundamentais da Doutrina Espírita" onde ensina:
"O Espiritismo, caminhando com o progresso, nunca ficará na retaguarda, porque se novos descobrimentos demonstrarem que está em erro acerca de um ponto, ele se modificará nesse ponto.
Se uma nova verdade surgir, ele a deverá acolher".

Pelo que foi dito, temos a Bíblia como livro da lavra humana, cheia de belos ensinamentos e ricas informações, mas com falências que desmentem a sua feitura Divina.

(Esse Capelli)

A GRANDE VIAGEM...


Para seguir a tua viagem, no grande trem chamado "Vida", é importante que carregue pouca bagagem, levando o necessário para as paradas, evitando os excessos que só trazem peso, cansaço e desânimo durante o percurso.

Carregue bastante boa vontade, porque sem ela não nos entendemos com o próximo.

Leve muita compreensão, porque sem ela, a irritação será a sua companheira mais fiel.

Encha-se de paciência, sem ela a vida se torna um inferno.
Leve um grande estoque de esperança, pois alguns fracassos poderão desanimá-lo.

Deixe na estação, o medo excessivo, a cobiça desmedida, as desilusões sofridas, a preguiça e o desânimo, pois nada disso combina com a "Vida".

Mas, se queres realmente fazer uma boa viagem, deixe de lado todo rancor, toda dor, e até algumas injustiças sofridas, e leve uma grande quantidade de amor.

Amor suficiente para você e para quem ainda não o tem, se for preciso, ame quem não te ama,
mas, nunca, nunca deixe de se amar, porque o amor é o combustível dos fortes, e passagem certa para a felicidade, nessa grande viagem que é a sua "Vida".

(Paulo Roberto Gaefke)

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

EU ESTOU AQUI


Fácil é ser o que não somos.
Difícil é assumirmos o que somos.

Fácil é ver.
Difícil é sentir.

Fácil é sonhar.
Difícil é correr atrás do sonho.

Fácil é amar.
Difícil é ser amado.

Fácil é ter o nome na lista telefônica de alguém.
Difícil é estar gravado no coração desse alguém.

Fácil é escrever coisas bonitas.
Difícil é dize-las olho a olho.

Fácil é amar enquanto longe.
Difícil é enganar mesmo com a distância quando se ama.

Fácil é achar que não ama quando o coração bate forte
ao falar com a pessoa esperada.
Difícil é dizer EU TE AMO.

Fácil é beijar de olhos fechados.
Difícil é dizer que foi bom.

Fácil é dizer tudo vai dar certo.
Difícil é dizer que será eternamente.

Fácil é depois de tudo isso, você ainda achar que está
tudo difícil na sua vida.
Difícil é você admitir que falta algo que você pode mudar
com apenas um gesto sincero, dizendo:

Eu estou AQUI!!!
Conte Comigo!

terça-feira, 18 de agosto de 2009

AINDA QUE...


A vida usa as suas armas e dá asas à ilusão.
A felicidade não é uma coisa que se pretenda e se agarre!

É felicidade cada momento que encanta.
É felicidade a dor feita experiência de alcance sublime.
É felicidade cada riso que empolga, cada instante que explode alegria.

Para ti que sois muitos:
Não deixes que a solidão cale a voz do teu interior;
Não deixes que a ternura se apague;
Propaga o carinho com a força do momento
e cria o momento seguinte do amor!

Faz isso! Faz pulsar uma flor ao luar!
Desnuda a vida da confusão e goza o brilho da tua estrada!
Olha a tua frente, agarra o agora,

ainda que,
ali sozinho,
me vejas a mim,
parado,
desiludido,
no meio dum caminho...

(Amaral Nascimento)

PRECE POR UNIÃO


Mestre, que sejamos unidos aos nossos amigos e familiares...

Que não venhamos a ser motivo de discórdia e de dissensão.

Auxilia-nos a ceder em nossos pontos de vista conflituosos e a renunciar à ambição desmedida.

Conscientiza-nos de que a paz com aqueles que amamos diz sempre mais respeito

a nós do que a eles.

Que tomemos a iniciativa da concórdia e do diálogo.

Acalma em nossos corações os sentimentos que extrapolam, impedindo-nos a boa convivência.

Não queremos ser causa de enfraquecimento moral do grupo familiar que integramos.

Livra-nos de promover qualquer intriga...

Senhor, sob pretexto algum, que não sejamos causa de divergência com ninguém!

(Irmão José/Carlos A. Baccelli)
Do livro: Preces e Orações

PROSSEGUE NA LIDA


Levanta-te alma irmã, não te deixes abater pelo cansaço;
quanto mais ferido a golpes o coração, mais que ele se aprimora,
lembra-te que a dor é degrau de ascensão para libertação.

Vai e prossegue na lida...

Não recuses jamais a bendita oportunidade de servir;
a reencarnação é o abençoado momento para o aperfeiçoamento moral e o sofrimento é a chave de acesso para a renovação.

Nunca olvides que a luta só tem valia, quando de ti para consigo mesmo, construindo passo a passo o caminho para a perfeição.

Ergue-te e caminha...

Sentirás que a tua força procede de uma fonte inesgotável,
que o conduzirá enquanto ages no amor,
enquanto buscas fazer o bem.
(Glauco)

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

A GRANDE PERGUNTA

"E por que me chamais Senhor,
Senhor, e não fazeis o que eu digo?"
- Jesus. (LUCAS, 6:46)

Em lamentável indiferença, muitas pessoas esperam pela morte do corpo, a fim de ouvirem as sublimes palavras do Cristo.

Não se compreende, porém, o motivo de semelhante propósito. O Mestre permanece vivo em seu Evangelho de Amor e Luz.

É desnecessário aguardar ocasiões solenes para que lhe ouçamos os ensinamentos sublimes e claros.

Muitos aprendizes aproximam-se do trabalho santo, mas desejam revelações diretas. Teriam mais fé, asseguram displicentes, se ouvissem o Senhor, de modo pessoal, em suas manifestações divinas. Acreditam-se merecedores de dádivas celestes e acabam considerando que o serviço do Evangelho é grande em demasia para o esforço humano e põem-se à espera de milagres imprevistos, sem perceberem que a preguiça sutilmente se lhes mistura à vaidade, anulando-lhes as forças.

Tais companheiros não sabem ouvir o Mestre Divino em seu verbo imortal. Ignoram que o serviço deles é aquele a que foram chamados, por mais humildes lhes pareçam as atividades a que se ajustam.

Na qualidade de político ou de varredor, num palácio ou numa choupana, o homem da Terra pode fazer o que lhe ensinou Jesus.

É por isso que a oportuna pergunta do Senhor deveria gravar-se de maneira indelével em todos os templos, para que os discípulos, em lhe pronunciando o nome, nunca se esqueçam de atender, sinceramente, às recomendações do seu verbo sublime.

(Xavier, Francisco Cândido/Emmanuel)
Da obra: Caminho, Verdade e Vida.

NOS INSTANTES DIFÍCEIS


Nas dificuldades do dia-a-dia, esqueça os contratempos e siga em frente, recordando que DEUS esculpiu em cada um de nós a faculdade de resolver os nossos próprios problemas.

A vida é aquilo que você deseja diariamente.

A renovação autêntica tem de começar em nós mesmos.

Você prepara o caminho para quaisquer ocorrências pensando em torno delas.

A palavra é porta de entrada para as suas realizações.

Carregar ressentimentos é bloquear seus próprios recursos.

Encolerizar-se é dinamitar o seu próprio trabalho.

Não sofra hoje pela neurose que talvez lhe venha comprovar a compreensão e a resistência, em futuro remoto.

Os problemas existirão sempre em redor de nós e apesar de nós.

Olvide ofensas e desgostos, tribulações e sombras e continue trabalhando quanto puder no bem de todos, recordando que o tópico mais importante do seu caminho será sempre servir.

(Xavier, Francisco Cândido/ Andrè Luiz)
Respostas da Vida.

AMAR É FAZER DEUS TRANSITAR POR VOCÊ


Nada é superior ao amor.
Nele está a raiz de todas as virtudes da alma.

Ele vem do Pai Celestial e, como tal,
constitui energia sublime e incomparável.

Até nas horas de discussão violenta é possível fazer brotar o amor.
Basta calar para não ferir o interlocutor. Evitar o revide.
Esforçar-se para pronunciar a palavra de calma.

Lembre-se de que o amor é o remédio
que cura as enfermidades do espírito.
Ele tudo transforma e faz da dúvida
e do desespero nascer a paz.

Amar é fazer Deus transitar por você.

(Lourival Lopes)

BOM DIA

Quando surge um problema,
você tem duas alternativas:

ou fica se lamentando,
ou procura uma solução.

Nunca devemos esmorecer
diante das dificuldades.

Os fracos se intimidam.

Os fortes abrem as portas e
acendem as luzes.

(Dalai Lama)

LUTE. TRABALHE. ENFRENTE.

Levante a cabeça.

As dificuldades parecem esmagar você.

Dão-lhe a impressão de que não vale a pena lutar, porque será vencido.

Daí a aflição, o abatimento, a tristeza.

Mas, perceba sua real situação.

Os problemas somente são grandes porque você ficou pequeno, acabrunhado, reduzido.

Reaja.

Lute. Trabalhe. Enfrente.

A cada levantamento de suas forças, Deus lhe mostrará uma situação melhorada.

(Lourival Lopes)

TENHA ESPIRITUALIDADE


Veja significado nas mínimas coisas, nos detalhes.
A flor pequenina que se abre é um sorriso da natureza.
A brisa leve é remédio para os pulmões.
A água cristalina limpa e embeleza.
A luz tênue afasta as trevas
A veste humilde agasalha.
O trabalho singelo dá vida e suprimento.

Vistas do alto de um monte, as coisas grandes parecem pequenas.
Ali, ao seu lado, as pequenas serão maiores
do que as grandes distantes. Preste atenção às coisas
pequenas, e elas terão grande significado.
É espiritualidade a atenção que se dá às coisas pequenas.

(Lourival Lopes)

A FELICIDADE EXISTE!

A felicidade nasce da luta.

Ânsia natural do ser, a felicidade surge do seu esforço e sacrifício,
do equilíbrio do sentimento e do vigor da inteligência.

Não pense que a felicidade é uma quimera, uma névoa, uma ilusão.
Ela existe, mas não pode ser alcançada de uma vez, como num
passe de mágica. É preciso ir galgando degraus e
melhorando-se aos poucos, pelo trabalho e pelo amor.

A felicidade total é o encontro com Deus.

(Lourival Lopes)

A PAZ QUE VOCÊ PROCURA


A paz que você procura está dentro de você.
Na verdade, tudo está dentro de você. A paz ou a intranquilidade. O amor ou o ódio.
A riqueza ou a pobreza. A saúde ou a doença.

Depende de como você encara a vida. Se apenas enxerga o lado bom das pessoas, das coisas e dos fatos, vai encontrar a paz. Mas, se pende para o lado negativo,
edifica um espinheiro em forma de vida.
É uma verdadeira paz confiar em si e em Deus.

( Lourival Lopes)

A SUA IMAGEM


Não se preocupe com a sua imagem.

Quem se preocupa com a própria imagem da a impressão de ser uma pessoa vazia, que põe sua felicidade nas aparências e naquilo que os outros dizem.

Tal pessoa poderá até cair no ridículo.

Seja autêntico.

Aceite ser o que você é. Se não estiver contente com sua realidade, coragem:

Mude de vida! Mas mude de dentro para fora, sem camuflagem.

A pessoa feliz é transparente e segura de si mesma.

Irradia paz e alegria, sem disfarce.

Ela é o que é. E isto lhe basta

( Padre Luiz Cechinato)

APRENDA COM A NATUREZA


Resplandece o Sol no alto,
a fim de auxiliar a todos.

As estrelas agrupam-se em ordem.

O céu tem horários para a luz e para a sombra.

O vegetal abandona a cova escura, embora continue ligado ao solo, buscando a claridade, a fim de produzir.

O ramo que sobrevive à tempestade cede à passagem dela,
mantendo-se, não obstante, no lugar que lhe é próprio.

A rocha garante a vida no vale,
por resignar-se à solidão.

O rio atinge os seus objetivos
porque aprendeu a contornar os obstáculos.

A ponte serve ao público sem exceções,
por afirmar-se contra o extremismo.

O vaso serve ao oleiro, após suportar o clima do fogo.

A pedra brilha, depois de sofrer as limas do lapidário.

O canal preenche as suas finalidades,
por não perder o acesso ao reservatório.

A semeadura rende sempre,
de acordo com os propósitos do semeador.

PUREZA


O que mais faz falta para os adultos,
não é tanto a vitalidade juvenil,
ou a imaginação fértil infantil,
na realidade o que nos assusta é a “dureza do mundo”,
a ausência do amor fraterno que existe na infância,
onde as brigas não duram mais do que algumas horas,
onde a pureza da alma ainda permite sonhar.

Os adultos já não conseguem perdoar,
custam esquecer uma pequena mágoa,
brigam e as vezes se matam por pouco,
e fazem dramas maiores que a realidade,
mais do que as crianças no super mercado,
chorando quando querem algo que não damos,
e para tudo o que é bom dizem não,
se castram, se policiam, se suicidam,
matando a cada dia a criança que um dia,
existiu em cada um de nós.

Um pouco de gentileza não custa tanto assim,
examine-se por favor, ouça o seu tom de voz,
a sua maneira de escrever, de falar,
pare de gritar um pouco, use a doçura,
ninguém tem culpa dos seus problemas,
ninguém merece o nosso amargor,
seja doce, espalhe o bem, breque o mal,
ame mais e sem esperar nada em troca,
eis o segredo da felicidade.

Só para relembrar e despertar essa criança que há em você:

( Paulo Roberto Gaefke)

REFLEXÕES!!!


Tenha sempre presente que a pele se enruga, o cabelo embranquece, os dias convertem-se em anos… mas o que é importante não muda.

A tua força e convicção não tem idade.

“Preocupa-se mais com seu caráter do que com sua reputação, porque o seu caráter é o que você é, e sua reputação é o que os outros pensam o que você é”.

Atrás de cada linha de chegada, há uma de partida.

Atrás de cada conquista, vem um novo desafio. Enquanto estiveres vivo, sente-te vivo.

Se sentes saudades do que fazias, volta a fazê-lo.
Não vivas de fotografias amareladas.

Continua, quando todos esperam que desistas.
Não deixes que enferruje o ferro que existe em ti.

Quando não conseguires correr atrás dos anos, trota.
Quando não conseguires trotar, caminha.
Quando não conseguires caminhar, usa uma bengala.
Mas nunca te detenhas !

( Madre Teresa de Calcutá)

NUNCA LHE FALTARÃO

Os socorros Divinos, as iluminações, as boas idéias,
as luzes jamais deixarão de ser fornecidos a você.

Basta que acione o pedido para que o
Divino lhe venha em socorro.

Quem pede recebe.

Mas sentir-se atendido depende de você;

Às vezes, você já está com o pedido aceito por Deus,
mas só aceita uma ajuda de acordo com o
que você mesmo quer.

E aí pensa não ter sido atendido.

Aceite a vontade de Deus.
Ele quer o seu bem.

A maior das sabedorias é
obedecer à vontade de Deus.

ÉS CAPAZ!

Não sejas como os que não podem ajudar os outros porque
“não têm tempo”;
não podem ser felizes porque
“têm problemas”;
não podem ostentar saúde porque
“são doentes”;
não podem melhorar de vida porque
“nasceram para ser pobres”.

Reage às idéias negativas.

Põe em ti um pensar sempre positivo, sempre esperançoso,
sempre livre e aberto, e jamais admitas impedimentos criados
por ti mesmo.

Tens amplas condições de ação e resolução. Por isso, acredita
no que és e organiza-te interiormente.

És pessoa vencedora.

São bem-sucedidas as pessoas que põem ordem em si mesmas.

(Lourival Lopes)

FELICIDADE: UMA DECISÃO SUA


"Todo o amor do mundo pode ser dado a você, mas, se você decidir ser infeliz, permanecerá infeliz.
E você pode ser feliz, imensamente feliz, por absolutamente nenhuma razão - porque a felicidade e a infelicidade são decisões suas.
Leva muito tempo para perceber que a felicidade e a infelicidade dependem de você, porque é muito confortável para o ego achar que os outros estão fazendo você infeliz. O ego insiste em dar condições impossíveis, e ele diz que primeiro essas condições precisam ser satisfeitas e somente então você poderá ser feliz. Ele pergunta como você pode ser feliz em um mundo tão feio, com pessoas tão feias, em uma situação tão feia.
Se você observar corretamente, rirá de si mesmo.
É ridículo, simplesmente ridículo.
O que você está fazendo é absurdo.
Ninguém está nos forçando a fazer isso, mas insistimos em fazê-lo - e gritamos por socorro.
E você pode simplesmente sair disso; trata-se de seu próprio jogo - ficar infeliz e depois pedir simpatia e amor.
Se você estiver feliz, o amor fluirá em sua direção... não há necessidade de pedi-lo.
Essa é uma das leis básicas.
Exatamente como a água flui para baixo e o fogo flui para cima,
o amor flui em direção à felicidade”.

OSHO

VIAGENS

Ambicionas viajar, mudar de ares, viver novas experiências, conhecer outras pessoas...
Sentes-te saturado por fazer as mesmas coisas, repetir os trabalhos habituais, conviver com as criaturas de todos os dias.

A imaginação te desenha cenas empolgantes, enriquecidas de ilusões, convidando-te a conhecer outras terras, passear pelas regiões paradisíacas.

Os lugares onde ainda não estiveste, se te apresentam encantadores, ricos de promessas e de realizações, ensejando-te a felicidade que se te faz escassa, muito distante daquilo que anelas.

Os promotores de turismo apresentam recepcionistas risonhos, vivendo um clima de festa permanente, de verdadeiro encantamento.

Fascinado, acreditas que lá, no lugar onde não estás, tudo são alegrias e brilho, jogos de prazeres e constante renovação de festa.

Se não consegues, de imediato, realizar os projetos que traças, na esperança de fruir essas satisfações, deixas-te dominar pela amargura, pela frustração, tombando em estados depressivos ou de revolta contra tudo e todos.

Retifica, porém, a maneira de encarar a vida.

A dor, a dificuldade e o problema, a alegria e a tristeza, a saúde, a enfermidade e a morte visitam a todos e se apresentam em todos os lugares.

Quem vive lá, no lugar que desejas ardentemente visitar, atormenta-se pelo desejo irreprimível de vir cá, onde te encontras, com idênticas impressões.

Ali se padece de situações iguais às tuas.

Há um fluxo contínuo e crescente destes que vão e daqueles que vêm.

Sorridentes e joviais aqui, comunicativos e ligeiros, lá, são taciturnos e tristes, vivem cansados e deprimidos, qual ocorre contigo e com os indivíduos daqui.

Há festa em toda parte e programações especiais para vender sensações, que deixam ressaibos de insatisfação e dor.

Provocam paixões que se desvanecem, tornando-se cinzas e rescaldo dos incêndios que proporcionam.

Enquanto na Terra, ninguém passa isento de provações.

Cada criatura experimenta e vive sua quota, conforme as suas necessidades evolutivas.

Não te iludas, portanto.

Aqueles que se te fazem modelos de felicidade e beleza, também sofrem muito. Estão, apenas, disfarçados, guindados ao profissionalismo do qual retiram o pão diário, e, às vezes, o veneno com que se matam lentamente.

Não imaginas o que lhes sucede...

Há um lugar ao teu alcance, onde a felicidade te aguarda e nada a perturbará.

Não te exige muito, nem te atormenta. Este reduto maravilhoso é o coração. Põe nele o teu tesouro, conforme propôs Jesus, e aí o desfrutarás.

Se viajares e te alegrares, levarás contigo a verdadeira alegria, e se não puderes sair de onde vives, manterás a mesma bênção sem qualquer conflito.

Já que desejas, porém, viajar, faze-o como uma experiência para dentro, descobrindo o mundo íntimo profundo, e aí fruirás da plenitude que nunca se acabará.

* * *
(Franco, Divaldo Pereira/Joanna de Ângelis)
Da obra: Momentos de Coragem.

É RAZOÁVEL PENSAR NISTO

A paciência não é um vitral gracioso para as suas horas de lazer. É amparo destinado aos obstáculos.

A serenidade não é jardim para os seus dias dourados. É suprimento de paz para as decepções de seu caminho.

A calma não é harmonioso violino para as suas conversações agradáveis. É valor substancial para os seus entendimentos difíceis.

A tolerância não é saboroso vinho para os seus minutos de camaradagem. É porta valiosa para que você demonstre boa-vontade, ante os companheiros menos evolvidos.

A boa cooperação não é processo fácil de receber concurso alheio. É o meio de você ajudar ao companheiro que necessita.

A confiança não é um néctar para as suas noites de prata. É refúgio certo para as ocasiões de tormenta.

O otimismo não constitui poltrona preguiçosa para os seus crepúsculos de anil. É manancial de forças para os seus dias de luta.

A resistência não é adorno verbalista. É sustento de sua fé.

A esperança não é genuflexório de simples contemplação. É energia para as realizações elevadas que competem ao seu espírito.

Virtude não é flor ornamental. É fruto abençoado do esforço próprio que você deve usar e engrandecer no momento oportuno.

* * *
(André Luiz/Francisco Cândido Xavier)
do livro "Agenda Cristã

TEMAS IMPORTUNOS

Doenças.
Crimes.
Intrigas.
Crítica.
Sarcasmo.
Contendas domésticas.
Desajustes alheios
Conflitos sexuais.
Divórcios.
Notas deprimentes com referência aos irmãos considerados estrangeiros.
Racismo.
Preconceitos sociais.
Divergências políticas.
Atritos religiosos.
Auto-elogio.
Carestia da vida.
Males pessoais.
Lamentações.
Comparações pejorativas.
Recordações infelizes.
Reprovação a serviços públicos.
Escândalos.
Infidelidade conjugal.
Pornografia.
Comentários desprimorosos quanto à casa dos outros.
Anedotário inconveniente.
Histórias chulas.
Certamente não existem assuntos indignos da palavra e todos eles podem ser motivos de entendimento e de educação, mas sempre que os temas importunos ou difíceis forem lembrados, em qualquer conversação, o equilíbrio e a prudência devem ser chamados ao verbo em manifestação, para que o respeito aos outros não se mostre ferido.

* * *
(Xavier, Francisco Cândido/Andrè Luiz)
Da obra: Sinal Verde

TEXTO ANTIDEPRESSIVO


Quando você se observar, à beira do desânimo, acelere o passo para frente, proibindo-se parar.

Ore, pedindo a Deus mais luz para vencer as sombras.

Faça algo de bom, além do cansaço em que se veja.

Leia uma página edificante, que lhe auxilie o raciocínio na mudança construtiva de idéias.

Tente contato de pessoas, cuja conversação lhe melhore o clima espiritual.

Procure um ambiente, no qual lhe seja possível ouvir palavras e instruções que lhe enobreçam os pensamentos.

Preste um favor, especialmente aquele favor que você esteja adiando.

Visite um enfermo, buscando reconforto naqueles que atravessam dificuldades maiores que as suas.

Atenda às tarefas imediatas que esperam por você e que lhe impeçam qualquer demora nas nuvens do desalento.

Guarde a convicção de que todos estamos caminhando para adiante, através de problemas e lutas, na aquisição de experiência, e de que a vida concorda com as pausas de refazimento das nossas forças, mas não se acomoda com a inércia em momento algum.

* * *
(Xavier, Francisco Cândido/Andrè Luiz)
Da obra: Busca e Acharás

ESPÍRITAS


Nos momentos de crise,
Não te abatas. Escuta.

Por nada te revoltes,
Nem te amedrontes. Ora.

Suporta a provação.
Não reclames. Aceita.

Não grites com ninguém.
Nem firas. Abençoa.

Lance de sofrimento
É o ensejo da fé.

Silencia. Deus sabe
O instante de intervir.

* * *
(Xavier, Francisco Cândido/Emannuel)
Da obra: Caminhos.

PODE ACREDITAR

Falará você na bondade a todo instante, mas, se não for bom, isso será inútil para a sua felicidade.
Sua mão escreverá belas páginas, atendendo a inspiração superior; no entanto, se você não estampar a beleza delas em seu espírito, não passará de estafeta sem inteligência.

Lerá maravilhosos livros, com emoção e lágrimas; todavia, se não aplicar o que você leu, será tão-somente um péssimo registrador.

Cultivará convicções sinceras, em matéria de fé; entretanto, se essas convicções não servirem à sua renovação para o bem, sua mente estará resumida a um cabide de máximas religiosas.

Sua capacidade de orientar disciplinará muita gente, melhorando personalidades; contudo, se você não se disciplinar, a lei o defrontará com o mesmo rigor com que ela se utiliza de você para aprimorar os outros.

Você conhecerá perfeitamente as lições para o caminho e passará, ante os olhos mortais do mundo, à galeria dos heróis e dos santos; mas, se não praticar os bons ensinamentos que conhece, perante as leis Divinas recomeçará sempre o seu trabalho e cada vez mais dificilmente.

Você chamará a Jesus; mestre e senhor...; se não quiser, porém, aprender a servir com ele, suas palavras soarão sem qualquer sentido.

* * *
(André Luiz/Francisco Cândido Xavier)
do livro "Agenda Cristã